Zoom Arquitetura assina projeto da Pracinha Oscar Freire, primeiro Pocket Park do país | aU - Arquitetura e Urbanismo

Urbanismo

Notícias

Zoom Arquitetura assina projeto da Pracinha Oscar Freire, primeiro Pocket Park do país

Praça de 300 m³ instalada na rampa de um estacionamento privado pretende ser um novo espaço para descanso e lazer no meio da cidade

Kelly Amorim, do Portal PINIweb
26/Maio/2014
Divulgação

A Reüd, empresa de desenvolvimento imobiliário, e o Instituto Mobilidade Verde instalaram na Rua Oscar Freire, em São Paulo, o primeiro Pocket Park do país. Chamado de Pracinha Oscar Freire, o espaço público temporário ocupa uma rampa de estacionamento e será utilizado para descanso e lazer. O projeto é do escritório Zoom Arquitetura.

Além de poder receber eventos, workshops e food trucks, o objetivo dos Pocket Parks é transformar espaços públicos ou privados em lugares mais humanos e potencializar a vida na rua. Os 300 m² de área são divididos em dois patamares, facilitando o acesso de cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida. Todos os degraus podem ser usados como bancos.

A praça abriga dois painéis de plantas, uma parede de arte contemporânea e uma parede de lousa de 19 metros. A rampa em frente à praça foi pintada de maneira a avisar aos motoristas de que há circulação de pessoas no local.

De acordo com o Instituto de Mobilidade Verde, o primeiro Pocket Park surgiu em Nova York em 1967 próximo a 5ª Avenida, a pedido do então presidente da CBS, Williian Paley, que contratou os arquitetos paisagistas Robert Zion e Harold Breen para criar um pequeno parque de baixa manutenção com paisagismo, cadeiras leves e portáteis, emprego de materiais duráveis.

O Instituto de Mobilidade Verde, que tem o objetivo de discutir amplamente a construção de cidades mais humanas e sustentáveis, também ajudou a trazer os Parklets para o país. “A diferença principal é que o Pocket Park é instalado em áreas residenciais ou espaços privados, enquanto o Parklet ocupa o espaço de dos carros no estacionamento em vias públicas”, explica Lincoln Paiva, presidente do Instituto.

A Pracinha Oscar Freire funcionará por um ano e depois a previsão é de que seja instalada em outro local, ainda não definido.



Destaques da Loja Pini
Aplicativos