CAU/BR e FNA criticam campanha publicitária da construtora Andrade Gutierrez | aU - Arquitetura e Urbanismo

Notícias

CAU/BR e FNA criticam campanha publicitária da construtora Andrade Gutierrez

Para entidades, áudio denigre o trabalho de profissionais da área de arquitetura e urbanismo, caracterizando-os como "negligentes, imperitos e irresponsáveis"

Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb*
8/Março/2017

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) entrou na Justiça Federal de Brasília com pedido de sustação de um áudio utilizado em uma campanha publicitária da construtora Andrade Gutierrez em rádios de todo o Brasil. “Na avaliação da autarquia, o episódio ‘O contrato vale para todos’ difama a categoria por caracterizá-los como negligentes, imperitos e irresponsáveis”, diz nota da autarquia.

Para o CAU/BR, a empreiteira envolvida na Lava-Jato “não pode colocar em xeque a idoneidade de toda uma categoria na tentativa de resgatar a própria credibilidade perdida”. O conselho solicitou reparação por danos, mediante punição, em que a empreiteira deverá veicular mensagem publicitária que esclareça a sociedade sobre a importância dos arquitetos e urbanistas na elaboração de projetos arquitetônicos (de edificações) e execução de obras.

A Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA) também se posicionou sobre o caso em Nota de Repúdio. Veja no fim da matéria a nota na íntegra.

Procurada pela reportagem da PINIweb, a Andrade Gutierrez disse que não vai comentar a ação na Justiça.

“A Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA) vem a público manifestar repúdio à campanha “A melhor maneira de agir” em veiculação em emissoras de rádios nacionais em nome da construtora Andrade Gutierrez. No áudio ao qual a FNA teve acesso, do episódio “O contrato vale para todo mundo”, veiculado na Rádio 98 FM, de Minas Gerais (MG) e em outros veículos pelo país, a empresa usa de estratégias tumultuarias para denegrir a imagem dos Arquitetos e Urbanistas brasileiros. A FNA entende a campanha como um ataque direto aos profissionais que realizam seu trabalho com retidão e esforço em um país onde nem as leis trabalhistas costumam ser honradas. O comercial vende a ideia de um arquiteto e urbanista irresponsável, inflexível e autoritário e faz uma analogia com os desmandos políticos em contratações governamentais.

Espanta também que a referida empresa, investigada na Operação Lava-Jato, venha a público ditar regras de “boas práticas de conduta”. A ação e as informações veiculadas no comercial são descabidas, infundadas e ferem um política de conduta entre as categorias profissionais. A FNA e demais entidades estudam medidas judiciais cabíveis para que o referido comercial tenha sua veiculação suspensa e os danos causados sejam reparados.

Sem mais no momento,

Diretoria Executiva da FNA”

*Atualizada em 14 de março.



Destaques da Loja Pini
Aplicativos