Inovação na diagonal | aU - Arquitetura e Urbanismo

Interiores

Pimont Arquitetura . Florianópolis, SC . 2007/2008

Inovação na diagonal

Caixas ortogonais se sobrepõem com linhas formais e contemporâneas para assegurar concepção sólida na edificação

Por Eliane Quinalia Fotos Pimont Arquitetura
Edição 178 - Janeiro/2009

Para fugir do aspecto conservador e rígido dos tradicionais cartórios nacionais, os proprietários do Cartório Salles solicitaram um novo projeto arquitetônico, cuja modernidade e inovação fossem verificadas nas linhas que dividiam os espaços internos que integravam o ambiente. Um dos desafios foi refletir a atualização dos procedimentos jurídicos do grupo sem exibir explicitamente o "peso" da lei, comum em construções que tratam de processos jurídicos. Já o público deveria sentir-se à vontade em salas de espera ambientadas e bem dimensionadas.

A equipe da Pimont Arquitetura foi escolhida para coordenar o novo projeto do cartório em um antigo edifício comercial, que servia de depósito para os penhores de uma agência bancária da cidade. Por se tratar de uma região influenciada pela presença de alemães e holandeses, o escritório de arquitetura adotou como referência a experiência de renomados arquitetos estrangeiros em projetos executados no norte da Europa. O projeto realizado em Florianópolis apresentou linhas formais e ortogonais para manter uma concepção sólida com ar contemporâneo, que mereceu destaque devido à transparência já integrante do edifício.

O arquiteto Henrique Pimont Berndt, autor do projeto, priorizou a iluminação natural da construção e tirou proveito máximo da grande esquadria na fachada norte do edifício, única a receber excelente incidência solar. "Nesse ponto, a esquadria apresentava um layout que se estendia pelo pé-direito duplo do cartório, permitindo a iluminação de praticamente todo o estabelecimento, desde os fundos da loja até a frente", explica o arquiteto. Além disso, brises perfurados foram aplicados na mesma fachada do lado externo para controlar a incidência de raios solares, abrandando a radiação sem impedir a visão da área externa pelos funcionários.

Do lado interno, aos fundos, duas estantes cheias de livros ocupam o pé-direito duplo do cartório. Tais livros, no passado, eram armazenados em pequenas salas e ficavam escondidos em prateleiras, dificultando a consulta. Na nova proposta, os livros foram dispostos de forma acessível e se tornaram visíveis ao público, ganhando lugar de destaque nas prateleiras.

Mas o protagonista é o balcão do térreo, instalado na diagonal, para atendimento ao público. Seu desenho foi pensado para atender áreas de maior e menor movimento. A forma diagonal permitiu o afunilamento do fluxo de pessoal, importante também para garantir a privacidade dos funcionários na circulação pelo interior do cartório.

As salas dos tabeliões (titular e substituto) foram definidas em pontos estratégicos no pavimento térreo e no mezanino. "Na criação dessa composição preferimos diferenciá-las das estruturas do edifício, criando caixas de marcenaria revestidas com laminado colorido", explica Berndt. "É exatamente nesse ponto que a ortogonalidade da estrutura se faz presente. A ideia é mostrar que as caixas são elementos aquém da estrutura existente", completa.

Já o piso recebeu marmoleum, revestimento em manta que permite desenhos variados para reforçar circulações e elementos do layout. O revestimento possui bom desempenho acústico e destaca-se pelas juntas (soldadas), preenchidas com o próprio material do piso e pela presença de desenhos diagonais.  

A área destinada ao mezanino ficou restrita ao atendimento de escrituras e à leitura de testamentos. Algumas salas, mais reservadas, receberam divisórias em vidros com películas jateadas, que conferiram privacidade e permitiram que a luz natural chegasse a essas áreas mais restritas. De acordo com Berndt, uma das principais tarefas do projeto foi dividir os espaços priorizando a iluminação de fundo. "Programar toda a distribuição do cartório, devido ao grande número de armários, foi um desafio para nossa equipe", conta. 

DIAGONAL INNOVATION
To avoid the conservative and rigid aspect of the traditional national public notaries, the owners of Cartório Salles asked for an architectural project in which modernity and innovation were present in the lines dividing the internal spaces which integrate the ambiance. One of the challenges was to reflect the updating of legal procedures without explicitly exhibiting the "weight" of the law, so common in buildings for handling judicial processes. Meanwhile, the public should feel at ease in the decorated and well dimensioned waiting rooms. The Pimont Arquitetura team coordinated the project: they prioritized the building natural lighting and took maximum advantage of the glazing in the building's north facade. In addition to that, perforated brises-soleil were applied on the same façade to control the incidence of sunbeams, softening the radiation without blocking the external view. But the protagonist is the ground floor counter, installed diagonally, providing attendance to the public. Its design was created to serve the busiest and slowest areas. The diagonal shape permitted the funneling of the people flow, also important to assure privacy for the employees' circulation in the inner parts of the notary office.



Destaques da Loja Pini
Aplicativos