Questão de design | aU - Arquitetura e Urbanismo

Tecnologia

Questão de design

Elas deixaram de ser área estrita de trabalho - o prazer da gastronomia, associado ao lazer e ao luxo, elevaram a cozinha à categoria de área social, com novas formas, materiais, equipamentos e conceitos de design 

Reportagem de Giovanny Gerolla
Edição 138 - Setembro/2005

Depois da Frankfurter Küche, ou Cozinha de Frankfurt, introduzida pela arquiteta vienense e militante comunista Margarete Schütte-Lihotzky em 1927 - a primeira mulher formada pela Wiener Kunstgewerbeschule Architektur -, a cozinha deixou de ser somente funcional para se tornar um lugar onde se vive bem. Nas épocas de entre e pós-guerras, quando a mulher teve necessidade de buscar o mercado de trabalho, a vida doméstica se tornou um luxo. Assim, pensou-se este espaço como qualquer outro de lazer, ou até mesmo como objeto de prestígio: materiais caros, geladeiras, adega para vinhos, eletrodomésticos planejados e modernos, apuro das formas e praticidade eram as qualidades que a nova dona de casa, bonita e bem-sucedida, expressava. O conceito original propunha uma cozinha completamente planejada, na qual a mulher economizava espaço e tinha tudo à mão, com móveis embutidos e economia do espaço para serviço, além de boa divisão e proporção dos elementos. O valor artístico foi acentuado pelo jogo de luzes e cores que conferem ao ambiente um clima de conforto e bem-estar. Para o arquiteto húngaro Kristof Jarder, por exemplo, "a cozinha, depois de Margarete, virou show".

Quase oitenta anos depois de Margarete Schütte-Lihotzky, a arquiteta e restauradora Helena Saia afirma que "receber visitas na cozinha é démodé". Saia aposta na praticidade e idealiza a cozinha como um corredor simples, entre 1,60 m e 1,80 m de comprimento, com bancadas instaladas no sentido longitudinal das paredes de forma que, para realizar as tarefas, basta girar o corpo. Fogão, pia, geladeira, lava-louças e até lava-roupas devem estar instalados nessas bancadas. "Esse corredor pode ligar, por exemplo, um quarto ao banheiro, ou à sala de estar", diz a arquiteta.

Embora menos rígidas do que propõe Helena Saia, as tendências mostram neutralidade e minimalismo dos elementos. Pedras, madeiras nobres e cores claras de tabaco e tonalidades de verde compõem o design das novas cozinhas hoje. Segundo José Bonetti, da Kitchens, o uso de cores primárias é muito raro, mas ocorre. Bonetti acredita que o puro proporciona a praticidade necessária ao ambiente, ao mesmo tempo em que evidencia a higiene e transmite tranqüilidade.


Área ampliada



Sutis transparências e predominância do branco ampliam a cozinha de 30 m2 planejada por Traldi+Bomfim Arquitetura. A comunicação com o jantar é feita pelo passa-pratos aberto na parede que divide os dois ambientes e também pela leve cristaleira de vidro acidato e perfis metálicos que atua como divisória. Lâminas de vidro incolor compõem detalhes de fechamento na parede sobre o passa-pratos e sob a cristaleira, permitindo constante incidência de luz sobre as tesselas de vidro incolor aplicadas no piso. Na área de trabalho, o mobiliário é revestido com laminado melamínico cinza-chumbo e os equipamentos são de aço inox. Na área de armazenamento os armários são brancos, assim como geladeira, freezer e microondas.

Ficha técnica: projeto: Traldi+Bomfim Arquitetura; mobiliário: Kitchens; projeto de luminotécnica: Lumini; piso: Vidrotil; tampos de granito: Pedras Marina; equipamentos: Brastemp, Samsung, Arno




Riqueza de detalhes



A ampla janela de pinho de riga integra a cozinha projetada por Lucia Fernandes e Marcelo da Costa à sala de jantar e à área de lazer. Assim como as portas e janelas, todas da mesma madeira, os tijolos da antiga casa demolida foram reaproveitados. O calor desses materiais contrasta de maneira harmoniosa com detalhes de tendência mais sofisticada, como o jogo de damas do piso preto e branco e o aço inox da coifa e das bancadas, ou mesmo com recursos de linguagem contemporânea, caso da tubulação elétrica e hidráulica aparente.

Ficha técnica: projeto: Lucia Fernandes e Marcelo da Costa Arquitetos; gabinetes de madeira: Marcenaria Marselha; pias e bancadas: Mekal; metais: Deca; coifa: Construflama; guarda-louças: Depósito Santa Fé; luminárias: Acerbi; fogão: Lofra; geladeira: Brastemp; piso: Recesa; porta de PVC: Irmãos Petrol







Companhia masculina



O cliente gourmet de Beth Bailly e Eliane Medeiros, da Space Planning, desejava uma cozinha impecável para receber seus convidados. As arquitetas optaram pelo mobiliário da Elgin Cuisine em tonalidade de madeira natural, com algumas portas de vidro para conferir leveza ao conjunto. No piso foi aplicado porcelanato preto, cor que proporciona ao ambiente um ar mais masculino, além de ser produto de grande resistência e durabilidade. O piso escuro também destaca as cores da madeira e do aço inox. Segundo as arquitetas, a cozinha Elgin oferece boa disponibilidade dos equipamentos e, portanto, funcionalidade para o usuário.

Ficha técnica: projeto: Space Planning ¿ Beth Bailly e Eliane Medeiros; mobiliário: Elgin Cuisine; freezer, geladeira e fogão: Bosch; microondas: Eletrolux; coifa: Tuboar; cuba e tampo: Engecook; piso: Portinari; mesa: Marcenaria Imperium; cadeiras: Breton; acessórios: Casa do Churrasqueiro e Espaço Escultural; relógio: Kirk's; metais: Deca





Alta tecnologia



Três grandes geladeiras, forno elétrico e microondas são alguns dos equipamentos que Brunete Fraccaroli teve de arranjar nesta proposta, tomando o cuidado de não perder o dinamismo e a funcionalidade do ambiente. Assim, o fogão foi colocado em uma ilha central, que ainda acomoda superfície para pequenas refeições. No trecho de parede entre a bancada e os armários, a arquiteta instalou uma tela de cristal líquido que se torna transparente ou leitosa conforme a corrente elétrica é acionada, promovendo ou não a integração com a sala de jantar. Pouco convencional, as paredes foram revestidas de vidro tratado com PVB laranja.

Ficha técnica: projeto: Brunete Fraccaroli; vidros: Penha Vidros; marcenaria: Madetec; eletrodomésticos: Brastemp; iluminação: La Lampe; cozinha: Kitchens; banquetas: By Design; tela de cristal: Saint Gobain - Penha Vidros






Elegante



Consuelo Jorge aproveitou o formato de "L" da cozinha para constituir duas áreas: uma delas, ao fundo, é reservada para atividades mais longas, como lavagem, preparo e cocção. À frente, junto à sala de almoço, concentra-se a circulação, longe da bancada de trabalho. A preferência foi dada a materiais nobres como tessela de vidro, aço inox, Corian e vidro, a fim de garantir praticidade, facilidade de limpeza, manutenção e requinte.

Ficha técnica: projeto: Consuelo Jorge Arquitetos; bancadas e armários: Kitchens; piso: Vidrotil; parede: Terracor; refrigerador, batedeira e forno elétrico: Brastemp; fogão: Ariston; coifa: Crissair; objetos de decoração: Zona D; acessórios: Suxxar; porta de vidro: Penha Vidros; iluminação: Laboratório da Luz












Pelo prazer



Giovanna Fanucchi projetou a cozinha de sua residência em estilo gourmet com a intenção de integrá-la à copa e, assim, ter um espaço para receber amigos. "Nós gostamos muito de cozinhar e queremos que os amigos nos assistam e também participem", conta a arquiteta. Ela pensou no branco como cor ideal para o ambiente pela noção de higiene que transmite, mas decidiu adotar o marrom para os armários da linha Artemática, da Valcucine. No piso e no tampo, a arquiteta manteve o branco utilizando, no primeiro, granilite com cacos de mármore e, no último, silestone ¿ um material espanhol feito da mistura de pó de pedra com resina e brilhante, que reflete a luz. As paredes receberam porcelanato branco e constroem um ambiente bastante social.

Ficha técnica: projeto: Giovanna Fanucchi; armários: Valcucine; tampo: Delta Mármores; piso: Casa Franceza; eletrodomésticos: Iesa; porcelanato: Eliane; cuba: MeKal; metais: Deca





Funcionalidade



Christina Hamoui encontrou na Kitchens a solução para uma cozinha pequena que não deveria ter um aspecto muito tradicional e ainda reservasse um espaço de refeições para a família. O mobiliário da linha Profile tem acabamento em material branco de textura ranhurada e contribui para o visual liso e limpo, reforçado ainda pelo tampo de Corian, também branco. Para diferenciar a área de refeições, a arquiteta revestiu um trecho da parede com cedro maciço, mesmo material usado no tampo da mesa. O elemento quebra o branco da cozinha, mesclando modernidade a uma linguagem de copa.

Ficha técnica: projeto: Christina Hamoui; móveis e materiais: Kitchens; coifa e fogão: Suxxar; geladeira: DCS; iluminação: Puntoluc








Monocromática



No centro da cozinha projetada pelo escritório Forte, Gimenes e Marcondes Ferraz, há uma ilha equipada com chapa e forno elétricos sobreposta à mesa de almoço, que tem tampo de mármore carrara. As paredes onde estão fixadas as bancadas de trabalho foram revestidas de tessela de vidro na cor preta. As demais paredes foram pintadas com tinta acrílica branca, mesma cor do mobiliário da Favo, que aparece também em preto. Os tampos de todas as superfícies de trabalho, inclusive da ilha, foram cobertos de granito preto absoluto.

Ficha técnica: projeto: Forte, Gimenes & Marcondes Ferraz Arquitetos; mobiliário: Favo Móveis Planejados; cilindro de metal: Metal Worker; coifas e eletrodomésticos: Falmec







A nova cozinha italiana



Case System 5.0 é um dos novos modelos da Boffi, empresa italiana baseada em Milão. Projetada pelo designer Piero Lissoni, a cozinha apresenta unidades básicas equipadas com duas gavetas ou uma porta, espaço para lava-louça e forno, além de modelos para colocação sob a pia com gavetas duplas ou lixeira. Com articulações de puxar, a Case System 5.0 tem puxadores integrados à estrutura dos gabinetes e dimensões de 900 mm de altura, 450 mm, 600 mm, 900 mm e 1.200 mm de largura e 610 mm de profundidade. Com acabamento nas tonalidades marfim e carvão, ou revestimento de carvalho extradescolorido ou grafite, a cozinha tem base de alumínio anodizado. As portas podem receber acabamento de aço inox, folhas de carvalho extradescolorido ou grafite, ou ainda de Pral. Pral é um material constituído de elementos sintéticos diversos e polímeros acrílicos. Muito resistente à ação de bactérias e microorganismos, a produtos químicos, à água e até mesmo a explosões, o Pral é caracterizado por sua estabilidade. Não racha e não queima, pode ser limpo facilmente com água quente, é higiênico e apropriado ao contato com alimentos. A Boffi é um dos mais importantes fabricantes de cozinhas planejadas da Itália, com um faturamento superior a 45 milhões de dólares e showrooms próprios em 40 países. Embora seja conhecida por suas cozinhas de alto padrão e tecnologia, a empresa também produz mobiliário completo para banheiros, incluindo louças, luminárias e acessórios.

Ficha técnica: projeto: Piero Lissoni; módulos equipados com peças Electrolux exclusivos para a Boffi. São adaptáveis: fornos Miele, Siemens, Gaggenau, Sholtes; lava-louças Siemens, Gaggenau e Miele



Destaques da Loja Pini
Aplicativos